Lipoaspiração/Lipoescultura

/Lipoaspiração/Lipoescultura
Lipoaspiração/Lipoescultura 2018-05-14T16:35:47+00:00

A lipoaspiração é um dos procedimentos mais realizados em Cirurgia Plástica, tanto de maneira isolada quanto associado a outros procedimentos como abdominoplastia, mamaplastia de aumento, entre outros. Consiste na retirada, por mecanismo de sucção (pressão negativa), do tecido gorduroso de determinados locais visando atingir um melhor contorno corporal. Quando a gordura retirada pela lipoaspiração de uma área é reinjetada em outra área do corpo (enxerto de gordura), passamos a denominar o procedimento de lipoescultura, fazendo referência a esta nobre modalidade da arte, a qual transforma peças sem contorno em verdadeiros monumentos dos mais diversos tipos de materiais.

Quantos quilos vou emagrecer após uma lipoaspiração?
De fato, sendo a lipoaspiração um procedimento no qual os excessos de gordura são retirados do organismo, haverá a tendência de redução do peso corporal, porém, este não é o objetivo a ser alcançado e nem o fator que mede o sucesso da cirurgia. Para pacientes obesas recomendamos orientação nutricional e exercício físico antes de realizarem a cirurgia para que os resultados sejam otimizados.

Existem muitos riscos nesta cirurgia? 
Assim como em quaisquer procedimentos cirúrgicos, há riscos envolvidos em uma lipoaspiração. Contudo, quando o procedimento é realizado por cirurgião plástico treinado e habilitado, utilizando técnicas consagradas e cientificamente testadas, e seguindo as normatizações tanto do Conselho Federal de Medicina (CFM) quanto da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, esses perigos são muito reduzidos tornando a cirurgia bastante segura.
O que vemos com freqüência na mídia são casos de complicações onde algum dos cuidados recomendados e necessários foi negligenciado. Cirurgião sem treinamento adequado em cirurgia plástica, exageros no volume de gordura retirado (mais de 5 a 7% do peso corporal) ou no tempo de cirurgia, técnicas experimentais (sem comprovação científica), ausência de preparação pré-operatória adequada, cirurgia realizada fora do ambiente ideal (consultórios e clínicas sem estrutura adequada), são alguns dos muitos fatores que aumentam a possibilidade de complicações e de desastres em lipoaspirações.

Quais os cuidados pré-operatórios mais importantes?
O preparo pré-operatório adequado com eliminação e/ou controle de fatores de risco é um dos principais responsáveis pelo sucesso de uma lipoaspiração. A prática regular de exercícios físicos e a suspensão do tabagismo devem ser exaustivamente incentivados e encorajados. A realização de exames de sangue e eletrocardiograma também é fundamental.
É de vital importância que a paciente entenda os limites do procedimento tais como volume máximo de gordura a ser retirado (5 a 7% do peso corporal) e área máxima do corpo que pode ser lipoaspirada em um único procedimento visando atingir o máximo de segurança.

Qual o tipo de anestesia? Quanto tempo de internação?
A anestesia utilizada vai variar de acordo com a área a ser lipoaspirada e a preferência do cirurgião. A lipoaspiração pode ser feita sob anestesia geral, bloqueio peridural e em alguns casos até bloqueio local assistido. O tempo de internação também vai depender de fatores como o tempo cirúrgico, a área lipoaspirada, o volume de gordura retirado e, principalmente, o tipo de anestesia escolhido. Acreditamos que a manutenção da paciente em ambiente hospitalar, sob atenta observação, por período não inferior a 24 horas é um fator de aumento significativo na segurança pós-operatória.

A cirurgia deixa cicatrizes?
As incisões (cortes) feitos em uma lipoaspiração, são muito pequenos (somente alguns milímetros para a introdução das cânulas) e posicionados em áreas cobertas por roupas de banho. Dificilmente as cicatrizes serão motivo de incômodo para a paciente pois ficam quase imperceptíveis.

Como é o pós-operatório?  Sentirei muita dor? Ficarei muito tempo sem realizar minhas atividades?
De maneira geral, a recuperação pós-operatória de uma lipoaspiração isolada é bem rápida e tranqüila. A dor é um sintoma subjetivo mas normalmente está presente apenas nos primeiros dias sendo facilmente controlada com analgésicos. A paciente recebe alta hospitalar já em uso de uma malha elástica compressiva para diminuir o inchaço e as manchas roxas que com certeza surgirão.
Na maioria dos casos, indicamos, já a partir do 4o dia de pós-operatório, o início de sessões de fisioterapia e drenagem linfática localizada para a diminuição do inchaço e auxílio na modelagem das áreas lipoaspiradas. São realizadas 15 a 20 sessões com freqüência diária.
Após a primeira semana, a paciente já é autorizada a retomar gradualmente suas atividades porém com recomendações específicas dependendo da região do corpo que foi lipoaspirada e ainda em uso constante da malha elástica compressiva que só é retirada após 3 a 6 semanas.

Em quanto tempo terei o resultado definitivo?
O resultado de uma lipoaspiração depende de 3 fatores essenciais: qualidade e elasticidade da pele da paciente, quantidade de gordura retirada (nem pouca nem em demasia) e cuidados pós-operatórios adequados. Durante os primeiros meses o inchaço impossibilita a avaliação final. Ele tende a ceder após 6 a 8 semanas, porém são muito comuns os episódios de “inchaço do final do dia” durante até 6 meses de pós-operatório. Outro fator muito importante é a presença de nodulações que podem ser palpadas ao longo de toda a área lipoaspirada e que vão cedendo e desaparecendo gradualmente até o 3o mês após a cirurgia, principalmente através da realização correta e na freqüência adequada das sessões de drenagem linfática e exercícios modeladores.
Por esses e outros fatores, a avaliação do resultado definitivo de uma lipoaspiração deve ser feita somente após 6 a 9 meses, quando todos os componentes corporais alterados durante o procedimento já sofreram as adaptações necessárias em suas formas e retomaram seu funcionamento normal.

Em casos de lipoescultura podem ficar diferenças visíveis?
Como mencionado anteriormente, o processo denominado lipoescultura consiste na retirada de tecido gorduroso de determinado local (onde ele está em excesso) seguido de seu reimplante (enxerto) em outro local (onde ele está em falta). Portanto, o sucesso da lipoescultura passa obrigatoriamente pelo sucesso na enxertia da gordura, o que a linguagem popular chama de “péga da gordura”. Até os dias atuais, mesmo após inúmeras pesquisas científicas acerca do assunto, não há um consenso acerca de uma técnica que permita a completa previsibilidade dos resultados de enxertia de gordura. Portanto, há o risco de injetarmos – por exemplo – um mesmo volume de gordura em ambas as nádegas e termos “volumes de péga” diferentes, gerando assimetrias no contorno da região em questão. É indispensável conversar bem com seu médico a respeito do assunto e esclarecer todas as suas dúvidas sobre esse procedimento.