Blefaroplastia – Cirurgia das Pálpebras

/Blefaroplastia – Cirurgia das Pálpebras
Blefaroplastia – Cirurgia das Pálpebras 2018-05-14T15:55:07+00:00

A blefaroplastia ou cirurgia das pálpebras, é um dos procedimentos mais realizados em Cirurgia Plástica. É indicada para pacientes que apresentam excedentes de pele e/ou bolsas de gordura na região em redor dos olhos e pode ser realizada de maneira isolada ou em conjunto com a ritidoplastia (cirurgia de rejuvenescimento facial).

Quem são os candidatos à cirurgia?
Os candidatos a blefaroplastia são homens ou mulheres com idades variáveis que apresentem desde insatisfação com o aspecto estético de suas pálpebras até dificuldades visuais devido aos excessos de pele e/ou bolsas de gordura. A criteriosa avaliação e o diagnóstico preciso do cirurgião plástico ante a queixa do paciente constituem fatores preponderantes na decisão de realizar o procedimento.

Quais exames preciso fazer antes da cirurgia?
O pré-operatório é bem simples e geralmente compreende apenas exames de sangue e eletrocardiograma. Outros exames e avaliações complementares podem ser necessários dependendo da idade do paciente e da existência de problemas de saúde associados e deverão ficar a cargo do cirurgião plástico responsável.

Qual o tipo de anestesia?
A cirurgia geralmente é realizada sob anestesia local associada a uma sedação leve, ficando a anestesia geral reservada para casos específicos ou quando forem realizados outros procedimentos associados.

Qual o tempo de cirurgia e de internação?
O procedimento é realizado em um tempo aproximado de 2 (duas) horas devendo a paciente permanecer internada até a recuperação completa da anestesia. Sedação: 4 a 8 horas, recebendo alta hospitalar no mesmo dia. Anestesia geral: 24 horas necessitando pernoitar no hospital.

Onde ficam as cicatrizes? Elas são feias?
As incisões (e conseqüentemente as cicatrizes) em um procedimento de blefaroplastia geralmente são bem discretas e de boa qualidade, podendo ser facilmente disfarçadas com uso de maquiagem. A superior, localizada na linha da dobra da pele da pálpebra superior, só pode ser vista quando os olhos estão fechados; a inferior ocupa uma linha muito próxima aos cílios sendo naturalmente camuflada por eles. Se os cuidados e recomendações pós-operatórias forem seguidos corretamente, o aspecto estético das cicatrizes dificilmente será uma preocupação ou queixa por parte do paciente.

Como é o pós-operatório? Dói muito? Quanto tempo em repouso?
O pós-operatório da cirurgia das pálpebras é geralmente muito tranqüilo. A dor é um sintoma pouco freqüente e quando aparece é normalmente de fraca intensidade e de fácil controle com analgésicos comuns.
Os pontos são retirados entre o 4o e o 7o dia de pós-operatório.
O inchaço e os “roxos” em torno dos olhos apresentam melhora quase completa em uma semana, principalmente com o uso de compressas geladas, mas é importante ressaltar que existem variações caso a caso e que o resultado final do procedimento deve ser avaliado somente após 3 a 4 meses.
As principais restrições são quanto à exposição solar e cuidados com a higiene local e  o paciente não deve coçar e/ou esfregar os olhos até a completa cicatrização das incisões.
O período de repouso é variável de acordo com as atividades desempenhadas pelo paciente mas um período de 3 a 4 semanas, na maioria dos casos, é suficiente para o retorno às atividades normais.

O resultado final é gratificante? Vale a pena operar?
A blefaroplastia, quando corretamente indicada, proporciona resultados muito satisfatórios principalmente porque produz um impacto positivo na expressão do olhar do paciente com mínimas e inaparentes cicatrizes. Contudo, falsas promessas e expectativas além da realidade do procedimento podem gerar frustrações e devem ser evitadas a todo custo. Deve ficar claro que a blefaroplastia NÃO proporciona o rejuvenescimento facial e NÃO traz melhoras nas rugas próximas dos olhos, ou seja, os chamados “pés de galinha” permanecem inalterados após esse procedimento.