Abdominoplastia

/Abdominoplastia
Abdominoplastia 2018-05-14T16:32:35+00:00

Também conhecida como dermolipectomia abdominal, é a cirurgia estética do abdome que visa corrigir alterações musculares, pequenos excessos de gordura e, principalmente, flacidez e “sobras” de pele; conseqüências naturais e esperadas após uma ou mais gestações. Nos homens, os mesmos efeitos são gerados quando há grandes oscilações de peso. É um dos procedimentos mais realizados em Cirurgia Plástica e apresenta um grande número de técnicas que procuram se adaptar aos diferentes tipos de abdomes e às correções das diferentes estruturas envolvidas na definição e manutenção do contorno e da beleza dessa região.

Quando deve ser indicada a abdominoplastia?
A indicação clássica para a abdominoplastia é a retirada dos excessos de pele na região abaixo do umbigo e o reposicionamento dos músculos que compõem a parede abdominal. Tanto as “sobras” de pele quanto os deslocamentos musculares têm origem em situações onde o abdome é submetido a um processo de grande distensão (aumento de volume). O fator mais comum para essa distensão é a gestação e, portanto, as mulheres após a gravidez, naturalmente e quase que inevitavelmente passam a ser candidatas a dermolipectomia abdominal. No caso dos homens, o principal fator causal é a obesidade principalmente quando seguida de emagrecimento acentuado.

Há alguma preparação pré-operatória específica?
Na fase pré-operatória, o exame clínico detalhado feito por um cirurgião plástico experiente é o fator preponderante para a escolha da técnica – entre as tantas disponíveis – mais adequada para cada caso.
Acreditamos que o abdome precisa ser avaliado como um todo, “frente e verso” para que o equilíbrio no contorno corporal seja atingido após a cirurgia. Assim, de nada adianta termos um abdome liso e plano, sem excessos de pele em sua face frontal se há acúmulo de gordura nos flancos (áreas laterais) e consequente indefinição nas linhas da cintura ou ainda no dorso (área posterior) gerando desagradável desproporção. Desvios de coluna e alterações posturais também contribuem sensivelmente no contorno abdominal e precisam ser avaliados com cuidado.

Quantos quilos vou emagrecer com a cirurgia?
Outro fator pré-operatório de importância fundamental é a análise do peso em relação à altura (índice de massa corporal) e do padrão de distribuição da gordura na região abdominal. A abdominoplastia não é e nem nunca será a solução para pacientes com excesso de peso. A insistência, por parte das pacientes obesas, associada ao despreparo e a incapacidade do cirurgião plástico em contra-indicar este tipo de cirurgia para pacientes nessas condições é a combinação fatal na geração dos maus resultados e das grandes frustrações pós-operatórias em abdominoplastias.

Qual o tipo de anestesia? Quanto tempo demora a cirurgia?
As opções anestésicas para a dermolipectomia abdominal são o bloqueio peridural ou a anestesia geral. O procedimento demora em torno de duas horas podendo variar de acordo com a técnica a ser empregada.

Qual o tempo de internação?
A permanência em ambiente hospitalar geralmente é de 24 horas podendo ser maior de acordo com a necessidade avaliada pelo cirurgião plástico responsável.

Onde ficarão as cicatrizes? Poderei usar roupas curtas e biquinis?
A cicatriz é posicionada logo acima da linha onde começam os pêlos pubianos e se estende para as laterais procurando acompanhar a linha na qual são utilizadas as roupas íntimas da paciente. É importante esclarecer que a cicatriz será tanto maior quanto maior for a quantidade de pele que necessita ser retirada. Há também uma cicatriz em torno do umbigo o qual necessita ser reposicionado após a ressecção da pele excedente. Portanto, na abdominoplastia não é feito um novo umbigo e sim reposicionado o próprio umbigo da paciente.
Roupas curtas e biquinis poderão ser usadas sem maiores preocupações desde que as alças laterais sejam suficientemente largas para cobrir a linha da cicatriz a qual já é planejada de maneira a ficar econdida sob as roupas de banho.

Como é o pós-operatório? Sentirei muita dor? Quanto tempo terei que permanecer em repouso?
Na maioria dos casos, a paciente recebe alta hospitalar no dia seguinte da cirurgia e geralmente vai para casa com um pequeno dreno posicionado logo abaixo da cicatriz e usando um malha modeladora.
O dreno tem a função de evitar o acúmulo de líquidos (água, sangue e gordura liquefeita) nos primeiros dias após o procedimento e normalmente é retirado no 4o dia de pós-operatório podendo permanecer mais ou menos tempo de acordo com a necessidade. Existem casos em que o dreno não é necessário.
Na primeira semana, é normal que a paciente sinta dificuldades em se manter completamente ereta e adote uma posição levemente curvada ao andar, até que a pele recentemente “esticada” se adapte melhor em sua nova posição.
A dor, quando presente, não costuma ser muito intensa e pode ser controlada com analgésicos comuns na maioria das vezes. Não são raros os casos onde, ao invés de dor, a paciente sinta dormência e insensibilidade por um período variável.
Os pontos começam a ser retirados após a primeira semana e em alguns casos podem ser mantidos até 15 dias para garantir uma cicatrização sem intercorrências. Após a retirada completa dos pontos, normalmente indicamos sessões de fisioterapia e drenagem linfática complementares para potencializar o resultado obtido na cirurgia.
Recomendamos repouso domiciliar pelo período de duas a três semanas, contudo, não limitamos as atividades mais leves como higiene pessoal e trocas de roupas. Só é permitido dormir de barriga para cima durante o primeiro mês. As demais atividades como dirigir e caminhar longas distâncias serão retomadas gradualmente e o exercício físico será autorizado e encorajado após 60 dias, sempre sob orientação de profissional especializado.

Em quanto tempo poderei ver o resultado final da cirurgia?
A abdominoplastia é um procedimento que necessita de um longo período de tempo para ser analisado de maneira definitiva quanto ao resultado alcançado. Após cerca de 90 dias de pós-operatório já é possível ter uma boa idéia de como será o novo abdome, porém, as acomodações de músculos, gordura, pele e cicatrizes, só estarão completas após 12 a 18 meses.
São considerados normais episódios recorrentes de inchaço com freqüência variável durante todo o primeiro ano após a cirurgia. Esse inchaço aparece de maneira súbita e regridem espontaneamente.
A cicatriz passa por 3 fases distintas:
– 1o mês: fina e pouco visível, podendo estar avermelhada em alguns pontos.
– do 2o ao 12o mês: mais espessa e mais escura. É a pior fase e que gera mais ansiedade.
– após o 12o mês: sofre clareamento e afilamento progressivos e graduais chegando ao seu aspecto final por volta do 18o mês de pós-operatório.

Existem opções para as pacientes que possuem um excesso de pele mais discreto e gordurinhas localizadas?
Mais recentemente, novas técnicas de cirurgia estética abdominal foram incorporadas ao arsenal dos cirurgiões plásticos. Entre elas destaca-se a lipoabdominoplastia que, como o próprio nome já diz, é resultado da associação da abdominoplastia com a lipoaspiração. Através dessa técnica, as cicatrizes puderam ser diminuídas e maiores quantidades de gordura passaram a ser retiradas no mesmo procedimento trazendo uma nova e promissora opção para as mulheres mais jovens, com excessos de pele menos acentuados e com boa estrutura muscular abdominal recuperarem o contorno dessa região.